UE: Pfizer (PFIZ34) assina cláusula para assegurar envio de vacina

ANÚNCIO

A Pfizer (PFE) e a BioNTec (BNTX) disseram na quarta-feira que os dados finais mostraram que sua injeção foi 95% eficaz contra COVID-19, e que eles poderiam começar a distribuir as injeções antes do Natal, caso obtivessem autorizações de emergência

Em um sinal da corrida global para garantir vacinas, a União Europeia exigiu que a Pfizer (PFE) e a BioNTech (BNTX) aceitassem uma cláusula de violação do contrato caso desviassem as doses para os Estados Unidos.

ANÚNCIO

Para garantir o fornecimento da vacina, a UE fez um pagamento inicial não reembolsável. O montante não foi divulgado, mas o responsável disse que o bloco pagou 700 milhões de euros às empresas.

UE: Pfizer (PFIZ34) assina cláusula para assegurar envio de vacina
Fonte: (Reprodução/Internet)

Fique por dentro: Pfizer (PFIZ34) fechou acordo com mais de 30 países para vacina

União Europeia garante vacina mais barata

Os candidatos Pfizer (PFE)-BioNTech (BNTX) e CureVac (CVAC) são baseados na nova tecnologia de RNA mensageiro (mRNA) e projetados para serem administrados em duas doses. Isso significa que, para a injeção da Pfizer (PFE) da UE, custaria 31 euros para inocular uma pessoa.

ANÚNCIO

O preço acordado de 15,50 euros por dose só seria pago por aqueles governos europeus dispostos a comprar a injeção, e somente se ela fosse aprovada pelo regulador da UE como segura e eficaz.

O preço mais baixo reflete em parte o apoio financeiro dado pela União Europeia à BioNTech (BNTX) para o desenvolvimento do medicamento, segundo disse um funcionário da União Europeia.

Em julho, o governo dos Estados Unidos concordou com a Pfizer em pagar US$ 19,5 (16,43 euros na cotação atual) por dose, por 100 milhões de doses, com opção de compra de mais 500 milhões em termos a serem negociados separadamente.

ANÚNCIO

Países terão de ser reembolsados caso vacina não chegue

De acordo com a cláusula de violação de contrato elaborada pela União Europeia, as empresas terão de devolver 50% do montante pago previamente (por volta de 700 milhões de euros) caso haja um atraso na entrega das vacinas, ou se as doses forem desviadas para os EUA.

A cláusula foi solicitada pela UE como garantia, declarou o responsável, apesar das empresas planejarem produzir as doses para a Europa na Bélgica e na Alemanha.

Leia também: Pfizer (PFIZ34): Ações da farmacêutica podem ser investimento rentável?

Traduzido e adaptado por equipe Folha Capital.

Fonte: Reuters.

ANÚNCIO