Reino Unido prossegue negociações do Brexit

ANÚNCIO

Desde quando foi anunciado o desejo do Reino Unido em sair da União Europeia, o mundo todo aguarda atento se a transição realmente irá acontecer. Tudo começou com a discordância do país sobre as políticas de fronteira do grupo europeu.

O que foi uma decisão democrática, já que o povo britânico votou sobre a questão. Isso acarretou em um rebuliço no mais alto posto de gestão de governo inglês. David Cameron era o Primeiro-Ministro do Reino Unido quando o plebiscito ocorreu.

ANÚNCIO

Depois de David, passou Theresa May ,que renunciou, até chegar no atual líder, Boris Johnson. O republicano quer dar continuidade na transição do Reino Unido para fora da União Europeia. Como isso acontecerá diante de grandes perdas na economia britânica?

Reino Unido prossegue negociações do Brexit
Fonte:(reprodução/internet)

Reino Unido prossegue negociações do Brexit. O Primeiro-Ministro deseja continuar os ajustes do “British Exit”, mesmo com o cenário de crise no país. Vejamos como está a atual situação da nação da Rainha Elizabeth.

Economia inglesa enfrenta queda brusca

O Reino Unido foi um dos países que mais sofreu com o novo vírus, a pandemia foi devastadora para os ingleses. Seus efeitos foram letais para a economia do país. Pesquisas apontam que o Produto Interno Bruto britânico despencou 20,4% neste ano.

ANÚNCIO

O índice ainda foi menor do que o obtido no mês de abril, que foi de 25%. Segundo reportagem do portal G1, a baixa decorreu do isolamento social durante todo o mês. Outro dado preocupante é o recuo econômico previsto para 2020, que é de 6,5%.

Apesar das estimativas pessimistas, o Banco da Inglaterra acredita que uma recuperação na economia do país está próxima.  O presidente da instituição financeira afirma que o desempenho da economia acontece gradualmente e que ainda é cedo para dar um relatório com exatidão.

Primeiro-Ministro continua a transição do Brexit

Mesmo diante da crise econômica e da pandemia ainda não ter sido vencida, o governo britânico não tem intenção de barrar o fim da transição do Reino Unido da União Europeia. Na última sexta-feira ,12, Boris Johnson, Primeiro-Ministro, confirmou a retomada das negociações.

ANÚNCIO

A saída do país do grupo econômico foi oficializada em janeiro de 2020. De acordo com as regras do tratado que os países europeus são signatários, os ajustes do desvencilhamento deve ocorrer no período de 11 meses.

Reino Unido prossegue negociações do Brexit
Fonte:(reprodução/internet)

Neste ínterim, as partes devem discutir como ficarão as questões como política de fronteira; relação comercial; tarifas e movimentação de mercadorias e regulamento de medicamentos, etc. O grande debate é a respeito do setor de comércio, tendo em vista as ótimas condições oferecidas pela UE às nações que compõe o conjunto.

Caso o prazo citado se encerre sem acordo estipulado sobre o assunto, o Reino Unido passará a seguir as regras instituídas pela Organização Mundial do Comércio – OMC. Logo, os britânicos deixarão de ter acesso às vantagens nos valores de tarifas que incidem sobre compra e venda de produtos dos países do mesmo continente.

Política de fronteiras

Outra pauta extremamente relevante é sobre as negociações da política de fronteira. O discurso inicial do Reino Unido é de zero flexibilidade na fiscalização de produtos advindos dos países vizinhos.

No entanto, a decisão está em desacordo com as medidas da União Europeia. Foi mencionado pelo site InfoMoney que o objetivo do grupo é criar um modelo alfandegário mais moderado, ao menos por um tempo determinado. E que isso irá acontecer mesmo sem assinatura do governo britânico.

Alguns profissionais concordam com a medida tomada pela UE, pois ajudaria muitas companhias que possuem filiais em território inglês. Isto porque o continente europeu como um todo não está pronto para alterações bruscas no comércio.

Conforme a mesma fonte de informação, o Primeiro-Ministro do país irá realizar uma reunião por videoconferência com a Comissão Europeia, ainda este mês,  para acelerar os ajustes necessários. Enfim, vários pedidos de adiamento da transição têm sido enviados para Boris.

Porém, tudo indica que o político não tem o interesse em prolongar a transição. Para o republicano, trata-se de uma decisão do povo inglês, e isso merece ser respeitado. Vamos aguardar para ver quais serão os impactos do Brexit no mundo.

ANÚNCIO