PIB do país cai no primeiro trimestre

ANÚNCIO

No começo do mês de junho, a presidência do Banco Central informou novas projeções econômicas para o ano de 2020 e 2021. E os dados não parecem ser bons. Os índices são baixos para as principais colunas que sustentam o desenvolvimento do país.

Os apontamentos negativos foram referente ao Produto Interno Bruto, Taxa Selic, IPCA e Dólar. No Brasil, existem fatores que acentuam a crise advinda da pandemia, a oscilação política também tem refletido na economia de modo direto.

ANÚNCIO

Consequência de todos esses pontos, o PIB apresentou queda nas recentes análises. O que pode ser preocupante, pois há pouco tempo o país passou por uma inércia no seu crescimento econômico. Vejamos quais serão os impactos.

PIB do país cai no primeiro trimestre
Foto: Reprodução/internet

O PIB do país cai no primeiro trimestre. Estudiosos comparam o atual índice com instabilidade econômica ocorrida em  2012. Acompanhe esse texto, e saiba das recentes informações sobre o relatório apresentado pelo Banco Central.

América Latina frente à pandemia

A perspectiva para o mercado dos países da América Latina não é otimista. Desde quando a pandemia se instalou no mundo e medidas de prevenção foram adotadas a realidade tem sido preocupante.

ANÚNCIO

Sabemos que alguns países de outros continentes possuem uma estrutura financeira robusta como é o caso da China e Estados Unidos. Apesar da crise também ter chegado nessas nações, as consequências e impactos são infinitamente menores.

Alguns lugares vinham crescendo lentamente, como o Brasil. Depois de tombos seguidos com instabilidade política, o país vinha engatinhando rumo ao crescimento. No entanto, foi surpreendido com o vírus e consequentemente diretrizes precisaram ser tomadas.

No entanto, o pior cenário não reside aqui. A Venezuela já estava passando por uma crise brusca na economia, o setor financeiro encontrava-se em cacos quando o surto pandêmico surgiu.

ANÚNCIO

De acordo com notícias da Economia Uol, os países em desenvolvimento passarão por grande fase de escassez. E isso é notado pelo índice do PIB que irá cair até 4% neste ano. No caso do Brasil, foi dito que os posicionamentos da liderança do País podem interferir na contração deste medidor.

Impactos da crise atual são comparados aos de 2012

O ano de 2012 foi marcado com a crise internacional. Nos deparamos com discussões referente aos embates na Síria. O continente europeu sofreu diretamente com os impactos desse cenário. Sem contar com os episódios polêmicos na concorrência eleitoral nos EUA e França.

Resumindo, foi um prato cheio para a inconstância no mercado financeiro. O Brasil, por ter fortes ligações econômicas com países desenvolvidos acabou tendo que lidar com os resultados da crise exterior.

PIB do país cai no primeiro trimestre
Foto: Reprodução/internet

A presidente da época, Dilma Rousseff,  teve que buscar medidas juntamente com o ex ministro Mantega. O objetivo era encontrar investimentos alternativos para o país prosseguir em seus serviços. O índice do crescimento do PIB apontado naquele ano foi de 0,9%.

Foi anunciado pelo governo de 2012 que aquele período foi o pior de todos os tempos em âmbito global. Agora, em 2020 a estimativa é que a queda seja de mais de 6%, o que reflete num baixíssimo desenvolvimento do Brasil, como ocorreu no ano mencionado.

Recuo do PIB no Brasil

Várias medidas foram tomadas com o intuito de reduzir a curva de contaminação do vírus e de impedir um colapso na saúde. Exemplo disso, foi o isolamento social e o fechamento de todos os estabelecimentos que não fossem abrangidos por serviços essenciais.

A paralisação dos setores tiveram repercussão direta no índice de desemprego. Como também estimularam o retrocesso de grandes companhias que cooperam no crescimento econômico. No entanto, providências emergenciais precisaram ser executadas.

Nos deparamos com o conflito entre priorização da saúde versus economia. Com a preocupação com o aumento da disseminação do vírus, as diretrizes precisaram passar por um nível mais rigoroso. E isso acarretou perdas visíveis no mercado brasileiro.

De acordo com a Folha de S. Paulo, o Produto Interno Bruto do país caiu em torno de 1,5% nos primeiros três meses de 2020. E mais, instituições bancárias norte-americanas confirmaram o corte no desenvolvimento do nosso país.

De acordo com os profissionais da economia TOP 5  da Focus, a inflação baterá na casa de 3% em 2021. Vamos aguardar para ver como isso funcionará ano que vem. Porém, infelizmente, mais uma vez o crescimento do Brasil estará comprometido.

ANÚNCIO