Mercado europeu tem sinal de recuperação puxado pelos bancos

ANÚNCIO

Nesta segunda-feira (28), o mercado europeu vem mostrando recuperação após obter sua pior semana desde junho puxado pelo aumento global dos casos do coronavírus.

Além disso, os investidores estão de olho nas questões políticas dos Estados Unidos e a possibilidade da aprovação de um novo estímulo fiscal. 

ANÚNCIO

Enquanto isso, os bancos europeus, que chegaram a ser impulsionadores das maiores baixas dos índices deste mercado, aparecem com os principais ganhos do dia. 

Mercado europeu tem sinal de recuperação puxado pelos bancos
Fonte: (Reprodução/Internet)

Bolsas da Europa sobem com apoio da economia chinesa

Assim como outros mercados, as Bolsas da Europa sobem com apoio da economia chinesa que tem ganhado força com estímulos fiscais e mostrado dados positivos nas exportações. 

  • Índice Euro Stoxx (SX5E):+2,64%, às 10H17 (horário de Brasília);
  • Dax (DAX), da Alemanha: +3,01%;
  • CAC (PX1), de Paris: +2,37%;
  • FTSE MIB (FTSEMIB), da Itália: +2,06%;
  • FTSE 100 (UKX), de Londres: +1,67%.

O mercado europeu também mostrou-se otimista com o pronunciamento de Silvana Tenreyro, membro do Comitê de Política Monetária da Inglaterra sobre a retomada da economia inglesa. 

ANÚNCIO

Em comunicado público, a economista declarou que o banco central está avaliando se as taxas de juros negativas poderiam ajudar na recuperação econômica do país. 

Ações dos bancos se destacam no mercado europeu

Os maiores movimentos estão sendo apresentados pelos bancos. As ações do HSBC (HSBA), que recentemente se envolveu em polêmica sobre lavagem de dinheiro, indica valorização de 8,29%.

Os papéis do banco global britânico saltaram após a empresa chinesa Ping An Insurance (601318) anunciar que irá aumentar sua participação de 7,95% para 8% na instituição financeira. 

ANÚNCIO

O avanço se estendeu por todo o setor bancário, com o Deutsche Bank (DBK) e o Standard Chartered (STAN) ganhando mais de 5% e o Commerzbank (CBK) e o Credit Agricole (ACA) adicionando mais de 4%.

ANÚNCIO