Magazine Luiza (MGLU3) compra AiQFome

ANÚNCIO

Nesta semana, o Magazine Luiza (MGLU3) comunicou a compra da empresa de delivery de comida AiQFome, expandindo seu portfólio de produtos no marketplace.

A startup AiQFome, sediada na cidade de Maringá (PR), será incorporada ao aplicativo do Magalu (MGLU3) que já conta com outros recursos como a carteira digital MagaluPay.

ANÚNCIO

O valor da negociação não foi divulgado pelas marcas, mas conforme Roberto Bellissimo, CFO da marca compradora, o montante transacionado não é materialmente relevante.

Magazine Luiza (MGLU3) compra AiQFome
Fonte: (Reprodução/Internet)

Saiba mais detalhes sobre a nova aquisição da Magalu (MGLU3) .

Magalu (MGLU3) planeja desenvolver um super aplicativo

Durante o anúncio da aquisição do AiQFome, o CFO do Magazine Luiza (MGLU3) informou que a compra da startup de delivery de comida faz parte no projeto da empresa de tornar a atual ferramenta da marca em um super aplicativo.

ANÚNCIO

Segundo o executivo, a plataforma do Magalu (MGLU3) conta com mais de 30 milhões de usuários que utilizam os recursos mensalmente. Logo, com esse crescimento a estratégia é aumentar as opções de serviços.

“Além de ampliar a oferta de serviços do nosso marketplace, o objetivo com a compra é de que o AiQFome aumente a recorrência de uso do nosso superapp”, declarou Roberto Bellissimo à imprensa em videoconferência.

O diretor executivo complementou que o mercado de delivery tem crescido no país e a compra do AiQFome ressalta a necessidade dessa frente na companhia. Além dos novos investimentos, o Magazine (MGLU3) bateu recorde trimestral de vendas superando a Via Varejo.

ANÚNCIO

Testes com AiQFome iniciarão em breve

Ainda, o CFO informou que os testes para implementação dos serviços da startup na ferramenta do Magalu (MGLU3) começarão em breve. A fase preliminar incluirá a entrega de comidas e a ampliação do alcance dos negócios em território nacional.

Antes da aquisição o AiQFome não se responsabilizava pela entrega das refeições, atuava apenas como intermediadora entre o cliente e o restaurante. Com o novo formato, o mercado interpretou a compra como ameaça às marcas do mesmo segmento como iFood, Uber Eats (U1BE34) e Rappi.

Até então a empresa adquirida atendia em cidades menos populosas com no máximo 30 mil habitantes. Com a negociação, isto deve mudar já que segundo o Magazine (MGLU3) a meta é ampliar os serviços para regiões maiores. Enfim, ainda são desconhecidos os detalhes sobre quais mudanças serão feitas no modelo de atuação do AiQFome.

ANÚNCIO