JBS (JBSS3) perde investidores europeus por política ambiental

ANÚNCIO

A indústria brasileira de alimentos JBS (JBSS3) ficou de fora de todos os fundos do grupo financeiro europeu Nordea Asset Management, que atualmente tem sob sua gestão 220 bilhões de euros.

De acordo com o executivo do grupo, Eric Pedersen, a empresa decidiu retirar as ações da JBS (JBSS3) de sua administração pois a marca não apresentou resposta às questões ambientais levantadas durante reuniões entre as companhias.

ANÚNCIO

Segundo Pedersen, a Nordea promoveu engajamento junto à indústria para implementação de políticas de proteção ao meio ambiente, mas, devido à ausência de resposta, o Comitê de Investimentos Responsáveis da Nordea decidiu pela retirada.

JBS (JBSS3) perde investidores europeus por política ambiental
Fonte: (Reprodução/Internet)

Confira a recente polêmica envolvendo a JBS (JBSS3) e como a imagem de empresa não sustentável tem influenciado sua atuação no mercado.

ESG tira JBS (JBSS3) do fundo sueco

Durante os encontros entre JBS (JBSS3) e Nordea Asset Management foi abordado um conceito que vem trazendo modificações no mercado acionário que o ESG (Environmental, Social and governance).

ANÚNCIO

Esta temática de origem inglesa discute questões ambientais, sociais e de governança, as quais foram alvo de discussão entre as empresas. O grupo de investimentos mostrou-se preocupados com as recentes acusações de desmatamento da Amazônia e corrupção da JBS (JBSS3).

O executivo da Nordea afirmou que nos últimos anos a empresa tem evitado estar atrelada às marcas que vão contra as políticas de meio ambiente. Segundo ele, agora cautela também abrange os fundos de investimentos da empresa sueca.

Iniciativas como essas são feitas para manter os clientes confortáveis, já que atualmente a sustentabilidade é um fator crucial no mercado financeiro, segundo Pedersen. Logo, gerir ações de empresas que tenham imagem negativa nesse setor pode trazer riscos aos investidores.

ANÚNCIO
JBS (JBSS3) perde investidores europeus por política ambiental
Fonte: (Reprodução/Internet)

 

O termo em inglês ESG trouxe mais rigidez nas avaliações das empresas que atuam no mercado financeiro. O fundo soberano da Noruega e o BlackRock (BLAK34) são instituições de gestão de ativos que se destacam nas iniciativas ambientais.

Em maio, as companhias brasileiras VALE (VALE3) e ELETROBRAS (ELET3; ELET) foram retiradas do fundo soberano norueguês, gerenciador de 1 trilhão de dólares em ativos. Segundo o InfoMoney, questões ambientais e de direitos humanos fundamentaram a tomada de decisão.

Pronunciamento da JBS (JBSS3)

Nas últimas semanas, a empresa protagonizou polêmicas sobre ilegalidade na floresta amazônica. A Anistia Internacional alegou que, após investigações, foram encontrados indícios de que a indústria de alimentos teria criação de bovinos em regiões protegidas da Amazônia.

Após a divulgação de seu corte na lista da Nordea, a JBS (JBSS3) comunicou que está comprometida com no combate ao desmatamento do meio ambiente, sobretudo na Amazônia, bem como que tecnologias estão sendo desenvolvidas para ajudar nesta missão.

ANÚNCIO