Índices do mercado europeu recuam com segunda onda da Covid-19

ANÚNCIO

Nesta quarta-feira (14), o mercado europeu reage negativamente às novas medidas de isolamento social para conter a segunda onda do coronavírus. 

Em alguns países da Europa os governos determinaram o fechamento das escolas e o cancelamento de procedimentos cirúrgicos nos hospitais, o que repercutiu diretamente nas Bolsas do continente. 

ANÚNCIO

Apesar do cenário pessimista, a libra esterlina mostrou ganhos refletindo as últimas negociações do Brexit.    

Índices do mercado europeu recuam com segunda onda da Covid-19
Fonte: (Reprodução/Internet)

Bolsas da Europa têm resultado misto após medidas de isolamento social

Em meio ao surgimento de novos casos de coronavírus, o mercado europeu enfrenta problemas com o atraso de vacinas e novo lockdown

De acordo com o estrategista Kit Juckes, do Societe Generale (GLE), o atual quadro paralisou as negociações comerciais do Brexit e afetou também as Bolsas da Europa.  

ANÚNCIO
  • FTSE MIB (FTSEMIB), Itália: +0,60%, 
  • Dax (DAX), Alemanha: +0,032%;
  • FTSE 100 (UKX), Londres: -0,40%;
  • CAC (PX1), de Paris: -0,11%;
  • Índice Euro Stoxx (SX5E): -0,16%.

As perdas também se estenderam a Wall Street após suspensão de testes da vacina contra o novo vírus e impasse no pacote de estímulo dos Estados Unidos.

Vacina contra Covid-19 e estímulo fiscal impactam o mercado 

Ainda, as perdas do mercado de ações começaram em Wall Street na terça-feira, quando a Johnson & Johnson (JNJB34) comunicou a suspensão do teste da vacina contra Covid-19 após um dos participantes manifestar doença inexplicável.

Mais tarde, a farmacêutica Eli Lilly (LILY34) também informou a interrupção de seu estudo clínico por questões de segurança, o que gerou maiores perdas no mercado global de ações. 

ANÚNCIO

Também, as esperanças para a aprovação de um novo pacote de estímulo diminuíram quando a presidente da Câmara dos EUA, Nancy Pelosi, rejeitou proposta de alívio de US$ 1,8 trilhão da Casa Branca.

ANÚNCIO