Ibovespa (IBOV) opera em baixa após desempenho negativo da Wall Street

ANÚNCIO

Nesta quarta-feira (23), o Ibovespa (IBOV) encerrou seu desempenho operando em queda de 2% acompanhando as perdas registradas na Wall Street, que indicou recuo de ativos de grandes companhias de tecnologia e inovação.

O índice de desempenho brasileiro apresentou 102.293,31 pontos, número inferior ao apontado na máxima do dia, que foi de 104.946,40 pontos. A desvalorização impulsionou a alta do dólar, que vinha em apresentando queda por três cotações seguidas. 

ANÚNCIO

A retração no mercado norte-americano ocorreu num cenário de tensão entre os Estados Unidos e a China, surgimento de novos casos de contaminação do coronavírus e balancetes corporativos da Apple (AAPL34). 

Ibovespa (IBOV) opera em baixa após desempenho negativo da Wall Street
Fonte: (Reprodução/Internet)

 

Confira os dados recentes da Bolsa de Valores e entenda o motivo da desvalorização nas ações brasileiras. 

ANÚNCIO

Acontecimentos nos Estados Unidos influenciam no Ibovespa

Wall Street teve forte retração com retirada de investimentos em ações das empresas do ramo de tecnologia, após monitoramento indicarem que estados americanos estariam investigando a Apple (AAPL34), sob a alegação da empresa estar enganando os consumidores, segundo o MoneyTimes

Além disso, de acordo com o Departamento do Trabalho dos EUA que as solicitações de seguro desemprego saltaram para 1,416 milhão, na terceira semana do mês de julho. Este montante é superior ao previsto pelos especialistas, que estimaram 1,3 milhão de pedidos neste período. 

A tensão entre Estados Unidos e China foi o terceiro fator para desencadear quedas nas ações brasileiras e do restante do mundo. A iniciativa do governo americano em ordenar o fechamento do consulado no Texas repercutiu negativamente no mercado global. 

ANÚNCIO
Ibovespa (IBOV) opera em baixa após desempenho negativo da Wall Street
Fonte: (Reprodução/Internet)

 

Com esses acontecimentos, o Ibovespa registrou perda de 2% e com alta na cotação do dólar que fechou o dia em R$519 (venda) e R$5,2128 (compra). O dólar futuro ficou em R$5,208 registrando oscilação negativa de 0,1% para agosto. 

Destaques na Bolsa de Valores do Brasil

Das perdas registradas na Bolsa de Valores, três empresas se destacaram em meio ao cenário de desvalorização. A Qualicorp (QUAL3) fechou o rali de ações com alta de 1,49%, a Suzano (SUZB3) disparou em 3,14%, JBS (JBSS3), 1,36%, e Klabin (KLBN4) teve avanço de 0,99%.

Os ativos das companhias Via Varejo (VVAR3), Petrobras (PETR4), BTG Pactual (BPAC11) e Vale (VALE3) sofreram recuo de 7%, 2,08%, 1,47% e 0,66%, respectivamente. Os últimos dados do Ibovespa indicam fechamento em alta de 0,026% , apontando 102.319,40 pontos.

ANÚNCIO