Ibovespa (IBOV) – Índice sobe com alívio no exterior e pronunciamento de Rodrigo Maia

ANÚNCIO

O Ibovespa (IBOV) caminha para encerrar com ganhos na sessão de hoje (5), após perdas consecutivas registradas na semana passada. 

O principal índice da Bolsa de valores do país opera em alta seguindo o desempenho positivo do mercado internacional com pronunciamento do presidente dos EUA, Donald Trump, sobre melhora do estado de saúde.

ANÚNCIO

No cenário nacional, o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, acalmou os investidores em fala sobre Renda Cidadã, novo programa social do governo.

Ibovespa (IBOV) - Índice sobe com alívio no exterior e pronunciamento de Rodrigo Maia
Fonte: (Reprodução/Internet)

Ibovespa (IBOV) salta mais de 2% com otimismo do mercado 

Após a aparição de Trump, que recentemente testou positivo para Covid-19, alegando melhora dos sintomas do novo vírus os índices do mercado mundial responderam positivamente. 

  • Ibov: +2,24, aos 96.125,92 pontos, às 17h21.;
  • Dólar comercial: -1,76%, a R$ 5,565 (compra), e R$ 5,566 (venda).

No Brasil, Rodrigo Maia mostrou-se favorável em resolver as questões fiscais antes da criação do programa Renda Cidadã

ANÚNCIO

“A solução do Renda Cidadã tem que ser posterior à solução do teto de gastos. Isso é necessário para garantir que as despesas ficarão controladas nos próximos 24 meses”, afirmou o presidente da Câmara.

Maia e Guedes marcam encontro após troca de farpas

Em declaração à imprensa, o presidente da Câmara informou que terá encontro com o ministro da Economia, Paulo Guedes, na noite desta segunda, na casa do ministro do Tribunal de Contas da União (TCU), Bruno Dantas. 

“O presidente da Câmara e o ministro da Economia não podem ficar dando cotoveladas o tempo todo. É preciso solucionar os problemas do país”, declarou o deputado quando comunicou o encontro com Guedes. 

ANÚNCIO

Guedes e Maia parecem tentar uma reconciliação após protagonizaram troca de farpas publicamente. Na última semana, o deputado fez críticas à atuação do ministro nas questões de privatização chamando-o de desequilibrado.

ANÚNCIO