Ibovespa (IBOV) cai depois de retração do PIB americano

ANÚNCIO

Na última quinta-feira (30), o Ibovespa (IBOV) fechou o pregão com desempenho negativo em meio às análises de balanços referentes aos resultados do segundo trimestre de diversas companhias brasileiras como Bradesco, Minerva e Vale.

O mercado acionário do país, seguiu a baixa registrada na bolsa de valores americana em Wall Street após divulgação de retração de 31,9% do Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos entre os meses de abril e junho.

ANÚNCIO

Um recuo desta proporção não era visto na economia americana desde a Grande Depressão. O relatório publicado pelo Departamento de Comércio dos EUA indica que o crescimento econômico caiu 5% nos três primeiros meses e 1,8% no segundo trimestre.

Ibovespa (IBOV) cai depois de retração do PIB americano
Fonte: (Reprodução/Internet)

Confira a reação do mercado acionário do Brasil após a queda do PIB dos EUA.

Mercado de ações do Brasil é afetado

Apesar do PIB norte-americano ter despencado em quase 31%, os analistas esperavam retração de 34%. O índice foi inferior ao projetado, mas ainda sim os Estados Unidos registram o pior resultado dos últimos 70 anos.

ANÚNCIO

Este desempenho foi divulgado enquanto as empresas brasileiras se preparavam para demonstrar seus relatórios financeiros do segundo trimestre, com destaque positivo nos balanços para Minerva e Companhia Energética de São Paulo (CESP).

Enquanto isso, o mercado acionário do país mostrava desvalorização. O Ibovespa (IBOV) registrou baixa de 0,56% com 105.008 pontos e fluxo financeiro de 29,034 bilhões de reais. As ações da Natura (NTCO3) operaram em crescimento isolado no cenário de desvalorização.

Os papéis da marca brasileira de cosmético chegaram a acumular alta de 10%, a R$48,67 por ação. Este foi o melhor desempenho na bolsa de valores do país nos dois últimos pregões.

ANÚNCIO

Cotação do dólar e Taxa DI futuro

A moeda americana teve desvalorização de 0,26%, o valor para comercialização ficou em 5,1564 reais (compra) e 5,1591 reais (venda). A cotação do dólar futuro para agosto recuou em 0,31% com precificação de 5,155 reais no after-market (após o encerramento do pregão).

O câmbio teve o movimento de baixa após Donald Trump, presidente dos EUA, sugerir o adiamento das eleições presidenciais.

Em decorrência da manifestação de Trump, a taxa DI futuro referente a janeiro de 2022 também teve baixa no final do dia, com redução de 11 pontos-base, para 2,63%. O índice do mês de janeiro para 2023 e 2025 foi de perda de 16 pontos-base (3,64%) e 20 pontos -base (5,20%), respectivamente.

Perdas em Wall Street

A bolsa de valores dos Estados Unidos também sofreu perdas em seus principais índices na Wall Street. O mercado de ações Nasdaq (IXIC) teve baixa de 0,51, a 10.489 pontos, o índice S&P 500 (INX) em queda de 1,0987944%, a 3.223 pontos e  Dow Jones (DJI), o pior desempenho, com retração de 1,29%, a 26.191 pontos, segundo o MoneyTimes.

ANÚNCIO