Ibovespa (IBOV) avança mesmo com queda histórica do PIB brasileiro

ANÚNCIO

No pregão desta terça-feira (1), o Ibovespa (IBOV) vem revertendo a baixa de 3,44% acumulada em agosto mesmo após o Produto Interno Bruto (PIB) do país ter apresentado queda história no segundo trimestre de 2020.

O PIB brasileiro sofreu retração de 9,7% neste período, quando comparado com o resultado obtido no primeiro trimestre do ano, conforme informação do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). 

ANÚNCIO

Na comparação anual, o recuo é de 11,44% representando o pior desempenho desde 1996. Quando somados os percentuais de janeiro a junho, a contração foi de 2,2% em relação ao mesmo período de 2019. 

Ibovespa (IBOV) avança mesmo com queda histórica do PIB brasileiro
Fonte: (Reprodução/Internet)

Confira o desempenho do Ibovespa (IBOV) e notícias que influenciaram na alta do índice. 

Ibovespa (IBOV) acima dos 100 mil pontos 

O início do pregão tinha tudo para ser desfavorável aos investidores da Bolsa de Valores. O público aguardava a divulgação do PIB trimestral do país que apresentou desempenho inferior à expectativa dos especialistas (9,2%), segundo o Bloomberg.

ANÚNCIO

No entanto, com o pronunciamento do governo sobre a prorrogação do auxílio emergencial e o sobre o envio da reforma administrativa ao Congresso nacional, o Ibovespa (IBOV) avançou operando acima dos 100 mil pontos. 

  • IBOV: alta de 2,82%; aos 102.167,65 mil pontos;
  • Dólar comercial: queda de 2,08%, a R$ 5,3663 (compra) e a R$ 5,3669 (venda);
  • Dólar futuro (outubro): baixa de 2,3%, para R$ 5,371;

Após a divulgação do PIB, Paulo Guedes, ministro da Economia, afirmou que a economia já mostra sinais de recuperação e que o resultado do segundo trimestre representa o impacto inicial da crise do coronavírus. 

 Guedes presta esclarecimentos ao Senado

Além da agenda de reformas e do auxílio emergencial, os investidores também estão atentos à videoconferência do ministro Paulo Guedes com os senadores. 

ANÚNCIO

O encontro foi marcado para que Guedes prestasse esclarecimentos sobre seu fala a respeito da derrubada do veto presidencial ao reajuste dos servidores. No mês passado, o ministro chegou a declarar que a iniciativa do Senado era um crime contra o país. 

Durante a reunião, Guedes também abordou a reforma tributária e administrativa afirmando que o Congresso Nacional tem trabalhado para retirar as travas nos investimentos. 

“O Congresso trabalha incessantemente para modificar o marco regulatório e destravar os investimentos. Estamos encaminhando reformas administrativa e tributária, além da PEC do Pacto Federativo”, completou.  

Segundo o ministro, a proposta de emenda constitucional está pronta para ser encaminhada ao poder legislativo. O início do procedimento só irá depender da política para ditar o momento ideal.

ANÚNCIO