Ibovespa (IBOV) cai após orçamento de 2021 elevar meta de déficit

ANÚNCIO

No último pregão de agosto, o Ibovespa (IBOV) encerrou em queda operando abaixo dos 100 mil pontos. O índice reagiu negativamente à divulgação do orçamento de 2021 realizada pelo governo nesta segunda-feira (31).

O plano orçamentário elevou a meta de déficit para 233,6 bilhões de reais, correspondendo uma alta de 84 bilhões de reais quando comparada com as projeções apresentadas em abril deste ano. 

ANÚNCIO

Ainda, o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) prevê prejuízos para os próximos anos que juntos somam rombo de 572,9 bilhões de reais nas contas públicas. 

Ibovespa (IBOV) cai após orçamento de 2021 elevar meta de déficit
Fonte: (Reprodução/Internet)

Veja o desempenho do Ibovespa (IBOV) com alta influência do cenário fiscal do país. 

Cenário fiscal puxa Ibovespa (IBOV) para 99 mil pontos

Além dos números negativos da tão aguardada proposta orçamentária apresentada pela presidência da república, a divergência sobre o Renda Brasil segue em alta. Os investidores especulam que o programa não esteja na proposta encaminhada ao Congresso Nacional. 

ANÚNCIO

Apesar do déficit de 81,1 bilhões de reais registrado em julho ter sido inferior ao projetado pelos analistas, as despesas públicas tiveram acréscimo de 188,7 bilhões a mais. 

Por outro lado, espera-se que o prolongamento do auxílio emergencial até o final deste ano seja anunciado na terça-feira, 1º de setembro. 

Com a reunião desses assuntos em um único dia, o Ibovespa (IBOV) reverteu os ganhos da semana anterior em perdas e operou abaixo dos 100 mil pontos caindo 2,72%, às 17h18. 

ANÚNCIO
  • Ibov: 99,369,15 pontos;
  • Dólar comercial: alta de 1,12%, a R$ 5,4778 (compra) e R$ 5,479 (venda);
  • Dólar futuro (setembro): avanço de 1,49%, a R$ 5,471.

Melhora de projeções não motiva mercado 

O Banco Central chegou a divulgar o relatório do Boletim Focus apontando previsões da economia brasileira. A retração econômica para 2020 obteve melhora, assim como a estimativa para a inflação. 

  • Produto Interno Bruto: -5,28%, ante -5,46% da previsão anterior;
  • Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA): subiu par 1,77% neste ano.

Mesmo com os percentuais dos economistas que mais acertam as projeções da economia do país, o mercado nacional mostrou-se desmotivado. Isto porque o principal assunto com potencial para elevar o ânimo dos investidores a entrega do orçamento público para 2021.

ANÚNCIO