FEM – 4 conselhos para retomada do setor de mídia e entretenimento

ANÚNCIO

Muitos serviços foram afetados com a pandemia, alguns setores do mercado ligados à tecnologia mostraram melhores reações à crise. Mas, de uma forma geral todos os ramos passaram por um processo de adaptação.

Um dos segmentos que têm buscado estratégias para se reaquecer nesta nova realidade é o de comunicação e atividades de entretenimento que, mesmo com o crescimento na procura desses recursos durante a quarentena, ainda assim sentiram uma redução em seus investimentos.

ANÚNCIO

O Fórum Econômico Mundial (FEM) separou 4 recomendações para as companhias que atuam nesta área, levando em consideração os desafios que elas enfrentarão no retorno de suas tarefas.

FEM - 4 conselhos para retomada do setor de mídia e entretenimento
Fonte: (Reprodução/Internet)

Veja quais dicas o FEM compartilhou com os profissionais do ramo de publicidade, comunicação e entretenimento, segundo a Forbes Brasil.

Ações que levarão melhorias para os negócios

Em razão dos efeitos do coronavírus na economia global, diversas empresas que trabalham no ramo de mídia e entretenimento diminuíram o orçamento destinado à publicidade em plataformas como Twitter e Facebook.

ANÚNCIO

Para reverter medidas como essas, o Fórum Econômico Mundial recomendou 4 ações que podem levar melhorias para estes empreendimentos que precisarão modificar sua abordagem de trabalho.

1. Desenvolver um forte ambiente de comunicação

O FEM identificou alguns pontos que precisam ser priorizados na retomada dos serviços de comunicação e entretenimento que são:

  • Confiabilidade e segurança;
  • Organização dos investimentos;
  • Motivação da competitividade;
  • Priorização de alternativas de maior alcance;
  • Relacionamento com o cliente.                                                                                                                                                                                                              .

De acordo com os especialistas da instituição, a pandemia tem modificado os padrões de trabalho, o que tem afetado diretamente nos modelos de consumo. Dessa forma, reconquistar a confiança do consumidor, é o primeiro passa para realizar um bom desempenho neste processo.

ANÚNCIO

Logo, primeiro passo é trabalhar para recuperar ou reforçar a confiabilidade como prestador de serviço, bem como oferecer segurança em seus recursos. O segundo ponto está ligado à administração dos orçamentos

Esta atividade deve ser feita de forma organizada, seguindo a dinâmica de que o valor do produto oferecido ao público deve ser equivalente ao investimento destinado ao desenvolvimento dele.

O terceiro fator é a motivação da competitividade, que está diretamente ligada ao impulsionamento da pluralidade. Isto é, quanto maior for a versatilidade de um empreendimento, maior vai ser a possibilidade do consumidor se interessar pelo portfólio apresentado.

O penúltimo passo é estar atento às alternativas de distribuição de conteúdo que ofereçam um alcance global. De acordo com o levantamento feito pelo FEM, 55% dos rendimentos destinados aos profissionais que criam conteúdos para o Youtube são enviados por países que não são o seu país de nascimento.

Para o FEM, as empresas precisam atender às necessidades do consumidor e entender o que ele está buscando através de seus serviços. Por isso, o quinto ponto é focar no relacionamento com o cliente.

2. Migrar para o ambiente virtual

A tecnologia ficou ainda mais em evidência com a pandemia que estimulou o aceleramento do desuso de recursos que já estavam perdendo sua posição no mercado. Com isso, diversos empresários precisaram adaptar seus serviços ao ambiente virtual.

FEM - 4 conselhos para retomada do setor de mídia e entretenimento
Fonte: (Reprodução/Internet)

Então, os negócios que atuam no ramo de comunicação precisam promover a transformação digital. Esta medida é necessária sobretudo nessas empresas, que devem priorizar seus investimentos para esta nova realidade.

Alguns estabelecimentos como teatro e museu não fizeram este processo antes da pandemia, e agora estão se deparando com a obrigatoriedade desta transformação. Espera-se que mesmo com o retorno presencial dessas atividades, os produtos virtuais passaram a ser mais atrativos para o público.

3. Promover mudanças nas atividades profissionais

A Forbes recentemente abordou as sete áreas da vida sofrerão mudanças que serão permanentes, de acordo com o Google. A área profissional está dentro desta lista.

Em conformidade com este registro, o Fórum Econômico Mundial identificou que a indústria de entretenimento passará por essa adaptação. Para os profissionais do FEM, a automação inteligente e produção digital serão os recursos mais utilizados nessas companhias.

Com o novo cenário, funções que antes não existiam precisaram ser criadas. As maiores demandas estão para os analistas de dados e profissionais que trabalham com inovações tecnológicas. Este movimento irá requerer um mapeamento geral dentro da corporação, o que poderá levar alterações dentro da dinâmica da equipe.

4. Elaborar politicas de proteção ao meio ambiente

A onda de sustentabilidade vem crescendo nos últimos anos. O coronavírus também evidenciou o aumento da procura de investidores e grandes empresas que procuram por parcerias que possuam esta conscientização.

A tendência do mercado será de priorizar os negócios que implementam a responsabilidade com o meio ambiente em suas políticas empresariais. Os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU possuem destaque especial nessa questão.

Isto porque as empresas que atendem aos critérios possuem relevância e destaque no mercado. Tudo indica que as marcas do segmento de mídia e entretenimento, que se dedicarem a preencher os requisitos da organização, estarão dando passos para o crescimento no mercado pós pandemia.

ANÚNCIO