Embraer (EMBR3) desliga 900 funcionários com impactos da crise

ANÚNCIO

Na quinta-feira (3), Embraer (EMBR3) comunicou que irá desligar 900 funcionários no Brasil. Este número corresponde cerca de 4,5% do quadro total de empregados efetivos. 

Segundo a fabricante de aviões comerciais, a decisão foi tomada em razão dos impactos na economia mundial causados pela crise do coronavírus. Além disso, a empresa atribuiu a medida ao cancelamento de seus negócios com a Boeing (BOEI34). 

ANÚNCIO

Ainda, aproximadamente 1.600 funcionários aderiram ao plano de demissão voluntária que foi oferecido nos meses de julho e agosto. No total, a Embraer (EMBR3) desligará 2.500 funcionários no segundo semestre. 

Embraer (EMBR3) desliga 900 funcionários com impactos da crise
Fonte: (Reprodução/Internet)

Veja os impactos da crise na fabricante brasileira de aviões.

Covid-19 afeta aviação comercial da Embraer (EMBR3)

Em comunicado, a Embraer (EMBR3) informou que um dos principais fatores que levaram a empresa ao desligamento de aproximadamente 900 funcionários foi o prejuízo no setor de aviação comercial em razão da Covid-19. 

ANÚNCIO

No primeiro semestre, a empresa informou que o volume de entregas de aeronaves caiu 75% puxado pelas medidas de isolamento social e pela suspensão das atividades de aviação. 

No mesmo sentido, a Embraer (EMBR3) reportou rombo bilionário indicando prejuízo líquido de 1,071 bilhão de reais no segundo trimestre. Diante disso, a companhia promoveu cortes de gastos dentre eles a redução do quadro de pessoal alegando a necessidade de preservação da instituição. 

O objetivo é assegurar a sustentabilidade da empresa e sua capacidade de engenharia”, comunicou a empresa.

ANÚNCIO

Parceria com a Boeing (BOEI34) agrava o prejuízo 

No mesmo comunicado sobre a demissão dos funcionários, a companhia afirmou que os prejuízos se agravaram com os recursos destinados à divisão do setor de aviação comercial, conforme acordado com a empresa americana Boeing (BOEI34). 

No entanto, após realizado os investimentos a companhia estrangeira desistiu do acordo. Ainda, a falta de previsão da retomada da demanda de transporte aéreo também motivou os ajustes na corporação. Dessa forma, a Embraer (EMBR3) concluiu que apesar da recente decisão,  desde o início da pandemia esteve prezando pelo trabalho de seus empregados.

ANÚNCIO