ELMS abrirá capital com avaliação de US$ 1,4 bilhão

ANÚNCIO

A Electric Last Mile Solutions (ELMS) disse na sexta-feira (11) que concordou em abrir o capital por meio de uma fusão reversa com a empresa de cheque em branco Forum Merger III Corp (FIII), em um negócio que avalia a fabricante de veículos comerciais elétricos dos EUA em US$ 1,4 bilhão.

O fechamento de negócio está previsto para o primeiro trimestre, e a empresa será negociada na Nasdaq (IXIC) sob o símbolo “ELMS”.

ANÚNCIO

O negócio proporcionará à ELMS US$ 379 milhões em receitas brutas, incluindo US$ 155 milhões de investidores privados como BNP Paribas (BNPQY) Asset Management e Jennison Associates. 

ELMS abrirá capital com avaliação de US$ 1,4 bilhão
Fonte: (Reprodução/Internet)

Veja mais: Maruti Suzuki (MARUTI) e outras montadoras possuem 80% do mercado na Índia

A montadora irá aproveitar fábrica do segmento

A ELMS, com sede em Auburn Hills, Michigan, planeja lançar uma pequena van de entrega Classe 1 no terceiro trimestre de 2021, seguida por um caminhão maior Classe 3 no final de 2022. A bateria dos veículos será fornecida pela empresa chinesa de baterias CATL (300750).

ANÚNCIO

O presidente-executivo da ELMS, James Taylor, disse que ambos os veículos serão montados na antiga fábrica da Hummer (GM) em Mishawaka, Indiana, e que a ELMS pretende adquirir da China Chongqing Sokon Industry Group Stock Co Ltd (601127) quando o negócio for fechado.

Os veículos da ELMS serão baseados na van comercial da Sokon (601127) fabricada na China por meio de uma joint venture com a Dongfeng Automobile Co Ltd (600006), o que vai acelerar o tempo de desenvolvimento, segundo Taylor, que é ex-executivo da General Motors Co (GM).

“A demanda por soluções econômicas para apoiar o ecossistema de comércio eletrônico é esmagadora. Esta indústria promete recompensas para os pioneiros”, afirmou Taylor.

ANÚNCIO

Entenda o que significa “empresa de cheque em branco”

Uma empresa de cheque em branco ou aquisição de propósito específico (SPAC) é uma empresa de fachada que levanta dinheiro por meio de uma oferta pública inicial (IPO) para comprar uma entidade operacional, normalmente dentro de dois anos. 

Os SPACs surgiram como uma rota rápida para o mercado de ações para empresas, especialmente firmas de tecnologia automotiva, e se mostraram populares entre os investidores que buscam recriar a alta valorização das ações da Tesla (TSLA).

Leia também: Airbnb busca avaliação de US$ 47 bilhões

Traduzido e adaptado por equipe Folha Capital.

Fonte: Investing.

ANÚNCIO