Educação financeira: 5 golpes para evitar

ANÚNCIO

Com a modernização do mundo, muitas coisas positivas foram criadas para a praticidade do dia dia. Mas, por outro lado, também existem pontos negativos como por exemplo a maior acessibilidade de criminosos às vítimas.

Conforme levantamento do SPC Brasil e da CNDL, as fraudes e golpes pelas redes sociais chegam a R$ 1,8 bilhão no país. Aproximadamente 46% dos usuários da internet já foram alvo de pessoas de má-fé.

ANÚNCIO

Logo, é importante estar atento às propostas “boas demais para ser verdade”, normalmente essas ofertas acabam dando prejuízo. Veja 5 golpes comuns que podem ser evitados com algumas cautelas.

Educação financeira: 5 golpes para evitar
Fonte: (Reprodução/Internet)

1. Esquema da pirâmide

O esquema de pirâmide é um golpe muito conhecido e com o passar dos anos sempre se apresenta em formatos diferentes ao público. Apesar da mídia alertar diversas vezes sobre a operação, muitas pessoas ainda se tornam vítimas da fraude.

A verdade é que as pirâmides financeiras possuem uma estratégia de marketing robusta e atrativa para o público, principalmente por trabalharem a ideia de que se trata de um investimento de fácil retorno financeiro.

ANÚNCIO

A vítima começa com uma aplicação inicial e passa a lucrar conforme for inserindo novas pessoas no negócio. No entanto, essa estrutura é insustentável pois o investidor não emprega seu capital em ativos de rentabilidade.

2. Clonagem do cartão

A clonagem de cartão é o golpe mais comum no Brasil e também é aplicado de diversas maneiras. O uso do recurso em compras na internet leva praticidade ao consumidor, mas também exige maiores cuidados.

Normalmente, os criminosos conseguem clonar informações prestadas pelo usuário. O mesmo golpe também é aplicado com o uso das máquinas de cartão em estabelecimentos.

ANÚNCIO

3. Cadastro falso do Pix

O mais atual é o golpe no cadastro do Pix. Recentemente, o Banco Central lançou seu novo sistema de pagamento instantâneo e os criminosos estão aproveitando disso para colher dados pessoais do público.

Com a novidade, pessoas de má fé criaram milhares de sites disponibilizando o cadastro da ferramenta, mas na verdade querem roubar as informações dos usuários. Para evitar este golpe, lembre-se que para utilizar o Pix é necessário registrar chaves.

  • E-mail;
  • CPF;
  • Celular.
Educação financeira: 5 golpes para evitar
Fonte: (Reprodução/Internet)

Além disso, o recurso exige que o usuário acesse ao aplicativo ou site da instituição financeira que seja cliente através de login e senha.

4. Golpe do WhatsApp

Na era da internet, a notícia de pessoas sendo vítimas de fraudes é mais comum do que em anos atrás. Por isso, o uso da tecnologia requer cautela pois informações privadas podem ser facilmente acessadas por terceiros de má-fé.

Leia mais: Investidores perdem US$ 24 milhões em Bitcoin.

É comum criminosos fraudarem o WhatsApp de pessoa próxima contanto histórias comoventes para pedir dinheiro. Logo, evite passar código de verificação do aplicativo para pessoas desconhecidas ou até mesmo conhecidas.

5. Gestor de investimento falso

Por fim, principalmente os investidores iniciantes tendem a errar na hora de escolher o assessor de investimento. Hoje em dia, existem muitos falsos profissionais que na verdade querem apenas ter acesso ao dinheiro do cliente.

Portanto, é interessantes avaliar bem o mercado e certificar-se de escolher o especialista correto para auxiliar nas aplicações.

ANÚNCIO