Economias emergentes apresentam melhora em meio à crise

ANÚNCIO

Quando falamos em economia de países em desenvolvimento ou emergentes nos deparamos com um olhar mais sensível dos investidores. A verdade é que mercados em potencial tem atraído muito o público deste setor.

O que chama atenção nesse tipo de país é por estarem avançando num contexto global. Porém, com a crise, vários gerenciadores de ativos optaram pela retirada de seus investimentos nessas economias, justamente por se mostrarem instáveis.

ANÚNCIO

Diante de um cenário de instabilidade econômica, o público busca por mercados sólidos e seguros como o mercado americano, por exemplo. No entanto, as economias emergentes estão recuperando sua confiança e vêm registrando bons resultados.

Economias emergentes apresentam melhora em meio à crise
Fonte: (Reprodução/Internet)

Veja quais são as últimas notícias sobre o mercado dos países em desenvolvimento, incluindo o Brasil. Especialistas apontam uma virada de jogo inesperada.

O melhor desempenho desde 2010

Foi divulgada uma projeção de que as economias emergentes iriam retroceder cerca de 2,5%, o que significaria a pior performance desse grupo desde 1960. No entanto, superando todas as expectativas e previsões, o balanço do último mês fechou com ganhos no mercado financeiro.

ANÚNCIO

De acordo com o seudinheiro, o Instituto de Finanças Internacionais apontou que a movimentação de capital dos países em desenvolvimento concluiu positivamente no mês de maio. O registro mostrou um ganho de 4,1 bilhões de dólares.

O fluxo do capital dos emergentes estão completando os melhores três meses com os melhor resultado desde 2010. A notícia chamou atenção também às aplicações de títulos em moeda americana, os quais vêm sendo procurados por este público de investidores.

Economias emergentes apresentam melhora em meio à crise
Fonte: (Reprodução/Internet)

Esta é uma resposta dos incentivos promovidos pelos bancos centrais que têm sido decisivo para mercados mais sensíveis. Prova dessa melhora é a valorização das moedas de alguns integrantes deste grupo, como por exemplo, o rublo russo, peso colombiano e a rupia indonésia que estão ocupando o topo do ranking.

ANÚNCIO

Esses dados surpreendem pois devido à crise gerada pela pandemia, vários investidores retiraram suas aplicações das economias em desenvolvimento, por medo do risco e inconstância por não se tratarem de finanças sólidas.

Para os profissionais de finanças, um suposto otimismo tem rondado os ativos desses mercados. Entretanto, não são todos os países deste grupo que se encontram em bom desempenho mostrando um desencontro nesses resultados.

Estimativa para os próximos meses

Especialistas apontam que apesar de uma retomada da confiança, economias como a do Brasil, México, África do Sul e Argentina sofrerão recuo de 8% em 2020. Baseado neste panorama, uma recuperação integral pode estar longe de acontecer.

Porém, os próximos meses poderão ser de ótimos ganhos para alguns países, excluindo o Brasil. O país, é classificado pelos profissionais como um mercado de alto risco em razão do relaxamento das políticas monetárias.

Economias emergentes apresentam melhora em meio à crise
Fonte: (Reprodução/Internet)

Por fim, todo este cenário contribui para que China, como principal país do BRICS e a maior potência emergente, passe a ampliar o seu domínio econômico. Reforçando que, de acordo com o Fundo Monetário Internacional (FMI), o mercado chinês pode apresentar bons ganhos ainda este ano.

ANÚNCIO