Dólar: Taxa Selic pode aumentar com cotação da moeda americana

ANÚNCIO

Em podcast do Banco Itaú (ITBU3; ITBU4), o economista e sócio da instituição financeira, Mário Mesquita, analisou que com o avanço constante do Dólar o Banco Central pode antecipar a elevação da Taxa Selic para os primeiros seis meses do ano que vem. 

Isto porque o nível de negociação do Dólar ante o Real está diretamente vinculado à direção da política fiscal que o Brasil irá percorrer. Caso o teto de gastos não seja respeitado, a moeda americana pode operar em patamares ainda mais altos. 

ANÚNCIO

Segundo o especialista, este movimento pode alimentar a inflação se os limites fiscais forem ultrapassados de forma permanente. 

Dólar: Taxa Selic pode aumentar com cotação da moeda americana
Fonte: (Reprodução/Internet)

Dólar acima de R$ 6 é alerta à inflação

Conforme Mário Mesquita, o ideal é que o Dólar não ultrapasse o teto de R$ 6. Abaixo desta faixa a inflação fica aproximadamente em 3%. Entretanto, caso este limite seja superado a cotação desregrada pode pressionar a inflação em 2021. 

Levando em consideração o pior cenário, o Banco Central precisaria responder rapidamente com medidas de política monetária no primeiro trimestre, já que uma oscilação positiva do Dólar acima do limite citado pode desencadear preços elevados já no ano que vem. 

ANÚNCIO

Leia mais: Dólar acumula valorização em setembro e Real é a pior moeda do ano.

Teto de gastos é o divisor de águas, afirma o especialista

O economista destacou que o governo do país precisa resolver as questões fiscais respeitando o teto de gastos, apesar da pressão de alguns parlamentares para aumentar os gastos. Segundo Mesquita, encontrar uma solução para o dilema fiscal será o divisor de águas da economia e da política do país. 

A XP Investimentos (XP) realizou pesquisa junto com gestores de fundos do mercado que indicou que 65,6% dos participantes acreditam na alta da taxa básica de juros, Selic, entre os meses de julho e dezembro de 2021.

ANÚNCIO
ANÚNCIO