Diretor afirma que instrumentos do BC não são adequados para atuar na volatilidade do câmbio

ANÚNCIO

Durante evento online, Bruno Serra, diretor de Política Monetário do Banco Central, declarou que a atual oscilação cambial tem incomodado a autarquia e está sob análise dos especialistas. Ele acredita que, hoje, o BC ainda não possui mecanismos para atuar diante desse cenário.

O profissional informou que tem procurado entender o que tem causado este fenômeno no câmbio antes de tomar qualquer medida. Segundo ele, acredita que o Banco Central está apto para lidar com o mercado apesar deste novo cenário.

ANÚNCIO

Nos último meses, a autarquia federal tem adotado medidas para aumentar a liquidez de seus papéis, que foram impactados com o coronavírus. Para Serra, os atuais reflexos foram maiores do que os registrados em 2008, ano da crise econômica internacional.

Diretor afirma que instrumentos do BC não são adequados para atuar na volatilidade do câmbio
Fonte: (Reprodução/Internet)

Saiba mais sobre o recente pronunciamento do diretor de Política Monetária do BC e suas avaliações diante do atual cenário do mercado.

Reservas internacionais é segurança para o BC

Nos últimos meses, o Banco Central se deparou com uma nova realidade no mercado e sistema financeiro pegando a autarquia desprevenida com o reincidência da volatilidade cambial.

ANÚNCIO

Em bate-papo com investidores, Bruno Serra alegou que o BC ainda não possui conhecimento sobre esta instabilidade. Segundo ele, a instituição tem evoluído sobre o assunto para que futuramente algo possa ser feito neste sentido.

“Antes de adotar o remédio a gente precisa entender qual é a doença. O sintoma é essa volatilidade elevada, qual é a doença ainda precisa ser entendido”, declarou o diretor de Política Monetária do BC.

Quando questionado sobre o desempenho do real, o profissional afirmou que o patamar da moeda brasileira não é o mais relevante tendo em vista que o banco possui reservas internacionais como forma de segurança às desvalorizações.

ANÚNCIO

Diretor afirma que instrumentos do BC não são adequados para atuar na volatilidade do câmbio
Fonte: (Reprodução/Internet)

Para Serra, os cortes consecutivos dos juros básico refletiram negativamente nos instrumentos de proteção dos negócios do país e nas finanças das famílias impactando diretamente na alta da moeda americana frente ao real.

O profissional tem observado que outros países têm utilizado para combater à oscilação cambial por meio da intervenção em corredor e atuação em mercado de opções. Segundo ele, esses mecanismos não têm se mostrado eficiente para conter o fenômeno.

Dólar opera em baixa

Nesta segunda-feira (27), poucos dias após a manifestação de Bruno Serra, o dólar registrou recuo de 0,89% sendo cotado em R$5,1577. A moeda americana acumulou perda de 5% em julho, mas, ainda tem valorização de 28% frente ao real, conforme o Valor Investe.

ANÚNCIO