Deliveroo planeja expandir seus negócios em 2021

ANÚNCIO

A pandemia de coronavírus acelerou a adoção de aplicativos de entrega de comida online, de acordo com Will Shu, o CEO do aplicativo para viagem Deliveroo.

Sediada em Londres, a Deliveroo vinha apresentando prejuízo há vários anos, mas os negócios da empresa cresceram durante a pandemia, disse Shu, acrescentando que tem sido lucrativa no nível operacional nos últimos seis meses.

ANÚNCIO

“Nossa análise inicial sugere que a Covid-19 acelerou a adoção desses serviços de entrega ao consumidor em cerca de dois a três anos”, declarou o CEO do app de entregas, na conferência de tecnologia Web Summit na quinta-feira (3).

Deliveroo planeja expandir seus negócios em 2021
Fonte: (Reprodução/Internet)

Veja mais: iFood anuncia aquisição do SiteMercado

Aumento de pedidos online trazem inovação de serviços

O aumento das entregas de mercearia foi a principal inovação da Deliveroo durante a pandemia, com esta parte do negócio respondendo por 10% das receitas da empresa no Reino Unido. O recurso permite aos clientes obter itens de supermercados como Waitrose, Co-op, Aldi, e Carrefour (CA).

ANÚNCIO

“Vimos esse aumento incrível de novos clientes aderindo à plataforma. Também vimos nossos clientes existentes procurando fazer pedidos com mais frequência, vimos o tamanho médio das cestas aumentar e também pedindo uma gama mais ampla de produtos”, disse Will Shu.

Fundada em 2013 por Will Shu e Greg Orlowski, a Deliveroo usa uma rede de 80.000 entregadores autônomos para entregar comida de mais de 100.000 restaurantes nas casas e escritórios das pessoas. Relatórios sugerem que a empresa planeja realizar uma oferta pública inicial (IPO) em 2021.

Deliveroo concorre com UberEats por financiamentos

O concorrente UberEats foi apoiado pela Amazon (AMZN) em uma rodada de financiamento de US$ 575 milhões em maio de 2019 e a Amazon (AMZN) agora possui 16% da empresa, que está avaliada em bem mais de US$ 2 bilhões.

ANÚNCIO

O investimento foi aprovado pela Autoridade de Concorrência e Mercados do Reino Unido (CMA) em agosto. Depois de uma recuperação no mercado de entrega de alimentos, os reguladores europeus mudaram o foco para analisar se a transação prejudicaria a concorrência em restaurantes e entrega de mercearia online.

O app de entregas pretende investir em cozinhas autônomas

No próximo ano, a Deliveroo planeja investir agressivamente na expansão de sua rede global de “cozinhas escuras”, que ela chama de Editions. Essas cozinhas escuras normalmente ficam em contêineres de transporte ou armazéns em locais industriais.

O diferencial destas Editions é oferecer aos restaurantes a possibilidade de vender sua comida em áreas onde não têm presença física. A Deliveroo atualmente tem diversos pontos de Edition em todo o mundo.

Proprietários de restaurantes disseram à CNBC em maio que sentiam que a Deliveroo cobrava comissão demais em cada pedido. Os entregadores de comida também já haviam criticado a empresa por pagar baixos salários.

Deliveroo disse em abril que está fazendo tudo o que pode para ajudar os entregadores durante a pandemia, com esses trabalhadores ganhando mais do que o salário mínimo nacional em média.

Leia também: Nestlé (NESN) investe US$ 3,58 bilhões para reduzir emissão de carbono

Traduzido e adaptado por equipe Folha Capital.

Fonte: CNBC.

ANÚNCIO