Consumo em shoppings e bares deve cair após pandemia

ANÚNCIO

Diversos estabelecimentos estão retomando suas atividades nas últimas semanas. Apesar da euforia da volta no funcionamento, alguns estados têm apresentado altos índices de contaminação do vírus.

Um ponto preocupante é que com a reabertura das lojas como shoppings, restaurantes e bares a população tem realizado nos cuidados preventivos, como a não aglomeração de pessoas. Existem relatos de filas quilométricas em algumas regiões do país.

ANÚNCIO

Apesar do reinício destes serviços, a mídia aponta queda no movimento nesses ambientes, o que irá prejudicar ainda mais as finanças das empresas deste ramo. Essa diminuição de consumo irá perdurar até que a vacina seja descoberta e liberada.

Consumo em shoppings e bares deve cair após pandemia
Fonte:(reprodução/internet)

Consumo em shoppings e bares deve cair após pandemia. Acompanhe aqui as notícias recentes do país e como funcionará o retorno das atividades dos comércios. Confira ainda o processo de retomada da economia brasileira.

Volta do comércio e notícias recentes

O mês de junho foi marcado pelo o retorno das atividades do comércio em cidades como São Paulo, Brasília e Rio de Janeiro. No entanto, esta liberação poderá ser revista devido à imprudência da população.

ANÚNCIO

Na capital paulista, o funcionamento das lojas causou aglomeração e tumulto no trânsito. Segundo o G1, ocorreu também o descumprimento de regras impostas pela prefeitura por parte do povo e dos lojistas.

Outra notícia que chamou atenção nos últimos dias foi a investigação contra o governador do Rio, Wilson Witzel. O político é investigado sob o fundamento de um suposto desvio de milhões de reais de verbas da saúde.

Nesta segunda-feira, (15), foi autorizado o início do processo de impeachment contra o governador, após votação entre parlamentares do estado.De acordo com a motivação da iniciativa encontra-se o cometimento de crime de responsabilidade por parte de Wilson.

ANÚNCIO

Para dar prosseguimento ao Impeachment, a Comissão Especial deve fazer análise para que a denúncia seja aceita ou rejeitada. No pronunciamento, o líder do executivo do Rio afirma que é inocente e que o seu governo não teve tolerância com as irregularidades elencadas no processo.

Consumidores reduzirão ida aos shoppings e bares

Enquanto o cenário político pega fogo, a população tenta voltar à “normalidade”. Como dito anteriormente, o comércio volta a respirar depois de quase 3 meses parado em alguma regiões do país.

No entanto, a retomada da rotina pode demorar a ser aderida na sua totalidade pelos brasileiros. De acordo com estudos solicitados pela Federação Brasileira de Bancos – Febraban, quase metade dos consumidores alegam que irão diminuir a ida aos restaurantes e bares.

Em torno de 45% da população alega que irá reduzir a frequência aos shoppings. Lembrando que estes últimos estabelecimentos já foram reabertos em alguns estados. No entanto, as perdas neste mercado são notáveis.

Conforme informações divulgadas pelos canais de comunicação, uns dos empreendimentos mais afetados foram restaurantes e bares. Os donos destes comércios afirmam que o déficit em caixa chega a 80%.

Retomada da economia

No mesmo levantamento feito pelo instituto Febraban, foi percebido que em torno de 43% dos entrevistados acreditam que a economia brasileira só irá  se recuperar em 2022, isto é, daqui 2 anos.

Essa perspectiva do público se deve pelos recentes dados de entidades brasileiras e internacionais, as quais apontam um recuo de 8% do Produto Interno Bruto do país. Outro fator que também influencia é estimativa de redução constante deste índice por profissionais do mercado financeiro.

Enfim, de fato as expectativas profissionais para a retomada econômica é de lentidão, no entanto, as circunstâncias já mudaram diversas vezes mesmo com previsões de especialistas deste ramo. Enquanto isso, nós vamos nos reinventando para a nova realidade.

ANÚNCIO