Comércio tem o pior desempenho de vendas em abril desde 2000

ANÚNCIO

Um dos setores que mais sentiu os efeitos da crise foi, sem sombra de dúvidas, o comércio. A necessidade da implementação do isolamento social ocasionou a suspensão de diversos serviços.

Alguns estabelecimentos conseguiram se manter utilizando a internet como principal ferramenta de trabalho. No entanto, outros infelizmente fecharam suas portas, prova disso foi o aumento dos pedidos de falência no país, que chegaram a somar 45%.

ANÚNCIO

Percebe-se que o ano de 2020 tem sido difícil para os comerciantes, aqueles que conseguiram manter seus negócios puderam reabri-los no final de maio em algumas regiões. Porém, ainda sim, a queda no desempenho de vendas foi drástico.

comércio
Fonte:(reprodução/internet)

Comércio tem o pior desempenho de vendas em abril desde 2000. Veja como tem sido o desempenho das vendas após a reabertura das lojas. Acompanhe relatos dos comerciantes sobre o atual momento.

Vendas no comércio despencam

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística divulgou,na última terça-feira (16), um relatório que aponta que o mês de abril apresentou o pior índice de vendas do país. O recuo foi de 16,8%, uma baixa que não é vista desde 2000, de acordo com o G1.

ANÚNCIO

Este período corresponde exatamente o tempo integral de isolamento social. A maioria, senão todas, as regiões do país adotaram a quarentena neste mesmo intervalo. O que ocasionou a queda brusca do desempenho comercial.

Quando vamos para um quadro geral, a retração é de 22,7% inferior ao melhor mês de outubro de 2014 que foi o melhor período de vendas até então visto no Brasil. Segundo os especialistas, era esperada uma queda no setor, mas não um desfalque tão gigantesco.

A estimativa de quando as atividades foram suspensas era de redução em 12% no desempenho. Ou seja, uma diminuição ainda menor do que a divulgada recentemente. Esse resultado negativo pode ser visto em 8 áreas, as três piores foram calçados, tecidos e vestuário.

ANÚNCIO

Os ramos acima, juntos somam uma baixa de 60,6%. As outras cinco foram estabelecimentos que vendem revistas, jornais, livros e papelaria que totalizaram perda de 43,4% em seus faturamentos.

Os setores que vinham operando em alta, mas que também tiveram redução foram os mercados (11,8%) e farmácias (17%). Apesar dos empreendedores terem conciliado seus serviços com as entregas em domicílio, o prejuízo não deixou de ser notado.

Relatos de comerciantes

Sabemos que São Paulo é o centro nacional do comércio, este setor é uma das grandes forças deste estado. Recentemente, o governo paulista autorizou a reabertura das lojas, depois de praticamente três meses de lockdown.

Apesar da empolgação em retomar as atividades, os comerciantes notaram uma queda significativa do movimento em seus estabelecimentos. Para eles, os brasileiros seguem cautelosos na hora de fazer compras.

De acordo com fontes do portal Uol, um dos motivos do recuo nas vendas é o desemprego. Muitas pessoas perderam seu trabalho com essa pandemia e aqueles que ainda o tem estão tomando precauções com o orçamento.

comércio
Fonte:(reprodução/internet)

O medo de ser contaminado pelo novo vírus também é um fator a ser considerado. Apesar de terem registros de aglomeração de pessoas em algumas regiões após o retorno das atividades comerciais.

Para os especialistas, o fator principal na queda de vendas ainda é a falta de dinheiro. Logo, os consumidores têm priorizado as contas de casa e compromissos emergenciais. Nas lojas de shopping centers isso também influenciou juntamente com a redução do horário de funcionamento.

Este último ponto tem preocupado os empreendedores deste ramo. Atualmente o limite estipulado pelo governo foi de quatro horas, o que não tem coberto os gastos para a manutenção dessas lojas, e tem causado aglomeração de pessoas.

Dia dos Namorados pós pandemia 

Uma das datas comemorativas que mais motivam os consumidores a saírem de suas casas para gastar é o Dia dos Namorados. No entanto, este ano a comemoração teve que ser diferente aqui no país.

Além dos restaurantes fechados, apenas com o serviço de Delivery, e as precauções ao sair de casa por conta do vírus fez com que o desempenho de vendas nas lojas caíssem drasticamente.

Conforme relatos de empresários, o faturamento foi 55% menor que o esperado, quando comparado com o ano anterior. Apesar da diminuição, o movimento nas regiões de comércio foi maior que a semana anterior dos dias 8 a 12 de junho.

Conforme o site Isto É Dinheiro, o aumento entre os dois períodos foi de 112%. A estimativa é que a retomada dos índices positivos aconteça aos poucos, de acordo com que a rotina for voltando à normalidade.

ANÚNCIO