Bitcoin despenca pelo segundo dia seguido para US$ 32 mil

ANÚNCIO

O Bitcoin despencou pelo segundo dia seguido na quinta-feira (21), levando as perdas da moeda digital para mais de 10% em 48 horas e eliminando bilhões de dólares do mercado de criptografia.

O preço do Bitcoin caiu mais de 6% na quinta-feira para tão baixo quanto US$ 32.527, chegando abaixo do nível de US$ 33 mil pela primeira vez desde 13 de janeiro, de acordo com dados do site da indústria CoinDesk.

ANÚNCIO

A moeda digital mais valiosa do mundo passou por algumas semanas selvagens de volatilidade, atingindo brevemente US$ 41.940 no início deste mês, antes de afundar acentuadamente na semana seguinte.

Bitcoin despenca pelo segundo dia seguido para US$ 32 mil
Fonte: (Reprodução/Internet)

Veja mais: Rendimentos do Tesouro dos EUA caem conforme mercado se recupera

Mercado total de criptomoedas cai para US$ 949 bilhões

O Ether, o segundo maior token criptográfico em valor de mercado, também caiu quase 10% em relação a dois dias atrás. A moeda atingiu a maior alta de todos os tempos de US$ 1.439 na terça-feira (19), de acordo com dados da Coin Metrics.

ANÚNCIO

O valor total de mercado de todas as criptomoedas caiu mais de US$ 100 bilhões nas últimas 48 horas, caindo de cerca de US$ 1,06 trilhão para quase US$ 949 bilhões a partir das 09h20 no horário de Londres.

A queda vem apesar de notícias aparentemente positivas para o bitcoin, que ainda está acima de 150% nos últimos 3 meses. Na quarta-feira, a gestora de ativos BlackRock (BLK) que tem US$ 7,8 trilhões em ativos sob gestão, abriu prospectos separados para dois fundos. 

Estes fundos abertos pela maior gestora de ativos do mundo podem ser destinados para comprar contratos futuros de Bitcoin, no maior sinal de que os investidores institucionais estão migrando para a moeda virtual.

ANÚNCIO

Demanda institucional aumentou volatilidade

Os defensores do Bitcoin dizem que a principal razão para o ímpeto ascendente da moeda digital nos últimos meses foi o aumento da demanda institucional por Bitcoin e outros criptoativos.

Investidores famosos como Paul Tudor Jones e Stanley Druckenmiller se revelaram crentes no Bitcoin, enquanto alguns gestores de ativos estão começando a adicioná-lo a suas carteiras.

O notável aumento da criptomoeda também foi alimentado em parte por uma narrativa de que ela oferece uma reserva de valor semelhante ao ouro em tempos de estímulo econômico sem precedentes, que alguns investidores temem que cause um aumento na inflação.

No entanto, os céticos temem que o bitcoin seja apenas mais uma bolha de mercado esperando para estourar. A criptomoeda é conhecida por sua volatilidade, pois já disparou perto de US$ 20.000 no final de 2017, antes de despencar no ano seguinte.

Leia também: Ações da Samsung (005930) voltam a subir após prisão de CEO

Traduzido e adaptado por equipe Folha Capital.

Fontes: CNBC e CoinDesk.

ANÚNCIO