Amazon (AMZN) estima alta no consumo impulsionada pela pandemia

ANÚNCIO

Na última quinta-feira (29) a Amazon (AMZN) previu um aumento no número de vendas ainda no fim deste ano, graças ao elevado índice de vendas online ocasionadas pela pandemia da Covid-19.

Com base nas declarações de um executivo da empresa, os altos custos e gastos decorrentes dos investimentos com infraestrutura de entrega continuarão a ocorrer ao longo dos próximos anos, como sintoma às ações no pregão chegaram a cair 2%.

ANÚNCIO

Com o início do surto do coronavírus nos Estados Unidos, há oito meses atrás, os consumidores passaram a recorrer com mais frequência à Amazon (AMZN) na busca de usufruir do serviço de entregas de suprimentos alimentícios, de saúde e produtos para casa.

Amazon (AMZN) estima alta no consumo de final de ano impulsionada pela pandemia
Fonte (reprodução/internet)

Amazon (AMZN) tem lucro bilionário em meio à crise

Enquanto lojas físicas procuraram fechar suas portas, a Amazon (AMZN)  chegou a contratar cerca de 400.000 trabalhadores e ainda arrecadou US$ 6,3 bilhões no trimestre encerrado atualmente, atingindo o segundo lucro recorde consecutivo.

Devido aos seus resultados a Amazon (AMZN) se tornou um dos pontos centrais dos tumultos políticos e sobre locais de trabalho. Este mês os democratas chegaram a acusar a empresa de deter um “poder de monopólio” sobre os comerciantes por meio da sua plataforma, a Amazon (AMZN) contesta essas afirmações.

ANÚNCIO

Mais de 19.000 funcionários da companhia chegaram a contrair Covid-19, e alguns chegaram a protestar pelo fechamento dos sites da empresa. Ainda, a Amazon (AMZN) incluiu neste feriado, cerca de US$ 4 bilhões em custos relacionados ao Covid-19. Valor acima dos US$ 2,5 bilhões do último semestre.

Jeff Bezos prevê recorde de vendas no Natal

Apesar das dificuldades enfrentadas em decorrência da pandemia de Covid-19, a empresa vem se preparando para alcançar um novo nível recorde. Com base em um comunicado à imprensa, o presidente-executivo da Amazon, Jeff Bezos, afirmou estar vendo mais clientes do que nunca comprando antecipadamente seus presentes de Natal.

Nos últimos tempos, os clientes com assinatura Prime têm comprado produtos na plataforma apesar das taxas mais elevadas. No âmbito internacional, a Amazon (AMZN) mostrou alta na demanda por entretenimento de vídeo.

ANÚNCIO

 

Já quanto aos vendedores do marketplace, no terceiro trimestre os comerciantes do e-commerce expandiram orçamentos para a publicidade, investimentos maiores dos que os obtidos durante o pico da pandemia.

Amazon (AMZN) estima alta no consumo de final de ano impulsionada pela pandemia
Fonte (reprodução/internet)

Leia mais: Vendedores de marketplace têm ganho de US$ 3,5 bilhões no Prime Day.

Companhia estima vendas de US$121 bilhões

Também, a Amazon (AMZN) espera para os meses de outubro e dezembro, vendas de até US$ 121 bilhões. O primeiro trimestre foi marcado por US$ 100 bilhões e segue superando a receita durante o terceiro trimestre.

Entre julho e setembro, as vendas da Amazon Web Services cresceram cerca de 29%, ante 48% da concorrente Microsoft (MSFT34) que relatou crescimento de receita nos serviços em nuvem, Azure.

Em relação às entregas, a empresa declarou gastar muito na expansão da capacidade de transporte. Com isso, foram destinados cerca de US$ 30 bilhões em despesas de capital até o terceiro trimestre.

Amazon (AMZ) reduz produtividade com restrições na pandemia

Conforme a Amazon (AMZN), a empresa precisou trabalhar de forma menos produtiva em decorrência do distanciamento social em seus armazéns, que responde por grande parte das suas despesas pandêmicas, afirmou o diretor financeiro Brian Olsavsky por meio de uma ligação a repórteres.

A empresa afirma estar testando seus funcionários na busca de detectar a circulação do vírus, além de obter equipamentos de proteção para os novos contratados.

Traduzido e adaptado por Equipe Folha Capital.

Fonte: Reuters.

ANÚNCIO