Ações da AES Tietê (TIET11) caem após venda de participação do BNDES

ANÚNCIO

Na terça-feira (28), os papéis da AES Tietê (TIET11) operaram em baixa após a AES Corporation (AES) vencer o embate pela fatia de 18,5% do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) na geradora de energia elétrica.

As companhias Eneva (ENEV3) que é brasileira, e AES Corp (AES), americana, vinham contracenando uma disputa pela participação. A cota parte negociada corresponde ao valor R$1,27 bilhão, sendo R$17,15 por cada ação da AES Tietê (TIET11).

ANÚNCIO

O pagamento ao BNDES será feito apenas em dinheiro, não envolvendo troca de ações. Como cumprimento da proposta feita ao banco, a empresa americana migrará a geradora do nível 2 da B3 para o novo mercado, padrão mais alto de governança.

Ações da AES Tietê (TIET11) caem após venda de participação do BNDES
Fonte: (Reprodução/Internet)

Entenda qual leitura foi feita pelo mercado acionário sobre essa negociação.

Units desvalorizadas em 8,35%

A aprovação da oferta da AES Corp (AES) pelo BNDES não repercutiu de forma positiva no mercado de ações. As units da AES Tietê (TIET11) chegaram a ter desvalorização de 8,35%, com cotação de R$15,36 cada um.

ANÚNCIO

As ações ordinárias fecharam em baixa de 9,59%, a R$3,30, e as preferenciais recuou em 7,69%, por R$3,00. Já o movimento de capital foi de R$286,5 milhões, sendo superior ao obtido no pregão do Ibovespa (IBOV) de segunda-feira (27), que foi de R$129,7 milhões.

Os analistas acreditavam que o BNDES não aceitaria a proposta da empresa norte-americana, no entanto, a AES Corp (AES) subiu o valor da oferta sugerindo pagar R$1,27 bilhão, em dinheiro, pelos 18,5% da atuação que o banco tinha na AES Tietê (TIET11).

Opinião dos analistas

De acordo com os analistas do XP Investimentos, a reação negativa dos investidores residiu no interesse pela venda da participação à Eneva (ENEV3), que ofereceu fusão das companhias de energia elétrica.

ANÚNCIO

A AES Corp (AES) já é controladora controladora da AES Tietê (TIET11) possuindo 61,6% de papéis ordinários, e detém 24,35% do capital total da geradora. Com a compra da cota do BNDES ela poderá barrar futuras propostas de fusão.

Este fator parece ter desagradado os acionistas da AES Tietê (TIET11) que podem considerar a venda suas ações, segundo os profissionais. Para eles, o volume dessas operações irá atrapalhar o desempenho dos ações da empresa no mercado.

A negociação renderá à AES. Corp (AES) 42,9% de participação na geradora. Além disso o BNDES anunciou a venda de 73,8 milhões de units que possui na AES Tietê (TIET11) para a companhia norte-americana, informou o MoneyTimes.

ANÚNCIO