Ações Tesla (TSLA34) mostram recuperação após queda histórica

ANÚNCIO

Nas negociações desta quarta-feira (9), as ações da Tesla (TSLA34) mostram sinais de leve recuperação após queda histórica da marca no pregão anterior. Os ativos da empresa de Elon Musk chegaram a despencar puxados pelo corte da marca no índice S&P 500 (INX).

O comitê de um dos principais índices do mercado americano decidiu não incluir a fabricante de veículos elétricos em sua listagem. A decisão esbarrou na expectativa dos investidores que aguardavam pela inclusão da marca que indicou recorde de lucro em quatro trimestres seguidos.

ANÚNCIO

Em meio à frustração do público, o comitê da S&P 500 (INX) optou em adicionar o site de comércio eletrônico Etsy (ETSY), a fabricante de equipamentos de teste automático Teradyne (TER) e a empresa farmacêutica Catalent (CTLT).

Ações Tesla (TSLA34) mostram recuperação após queda histórica
Fonte: (Reprodução/Internet)

Confira o desempenho da fabricante americana de veículos elétricos.

Ações da Tesla (TSLA34) sobem mais de 7% na Nasdaq (IXIC)

Durante as negociações de pré-mercado na Nasdaq (IXIC), as ações da Tesla (TSLA34) registraram alta de 7,09%. No pregão anterior, a empresa chegou a acumular em único dia desvalorização de 21,06%, tornando-se a pior perda já registrada pela fabricante.

ANÚNCIO

Nos últimos meses, a Tesla (TSLA34) somou alta de 300% levando a empresa a se tornar a montadora mais valiosa do mundo superando marcas como Toyota (TMCO34) e Volkswagen (VOW3). Mas, com o resultado do pregão anterior a avaliação da fabricante caiu de US$ 82 bilhões para US$ 307,7 bilhões.

A queda da Tesla (TSLA34) seguiu o recuo de grandes ações de tecnologia na semana passada, em meio a temores de que as avaliações tenham atingido níveis insustentáveis. Na terça-feira (8), o cenário ainda era instável para empresas como Amazon (AMZO34) e Apple (AAPL34) que chegaram a cair 3%.

Rivais da fabricante valorizam no mercado

Enquanto isso, a Nikola Motors (NKLA), startup de veículos elétricos e rival da Tesla (TSLA34) revelou na terça-feira que a General Motors (GMCO34) concordou em adquirir uma participação de 11% na empresa.

ANÚNCIO

Como parte do acordo, a GM vai produzir a picape elétrica de célula de combustível de hidrogênio até o final de 2022. Após a novidade, as ações da Nikola (NKLA) saltaram cerca de 29% no pré-mercado, enquanto a GM subiu 6%.

Empresa retira participação da Tesla (TSLA34)

A Tesla (TSLA34) desdobrou as ações de 1 para 5 no final do mês passado, um movimento que viu seu valor subir significativamente na corrida apesar de não ter nenhum impacto fundamental sobre as ações.

Porém, os ativos caíram dias depois com a notícia de que a empresa Baillie Gifford, maior acionista externa da marca, decidiu retirar participação na montadora em razão de restrições em portfólio de investimentos.

Apesar da perda desses recursos, a fabricante de veículos elétricos comunicou a conclusão de venda de US$ 5 bilhões em novas ações. A empresa fechou negociação apenas três dias depois de anunciar planos para vender os papéis adicionais em 1º de setembro.

ANÚNCIO