Ações globais recuam de alta da semana

ANÚNCIO

Os benchmarks de ações globais caíram de altas recordes e os preços do petróleo caíram na sexta-feira (22) com dados econômicos mais fracos no Japão e na Europa e as preocupações de que o plano de estímulo do presidente dos EUA, Joe Biden, possa enfrentar a oposição republicana. 

O medo de oposição no congresso conteve uma recuperação de uma semana nos ativos de risco. Os democratas assumiram o controle do Senado dos EUA na quarta-feira, embora ainda precisem do apoio republicano para aprovar o plano.

ANÚNCIO

O sentimento na Europa já estava mais cauteloso após a reunião de quinta-feira (21) do Banco Central Europeu, na qual a mensagem do banco foi percebida como mais agressiva do que o esperado.

Ações globais recuam de alta da semana
Fonte: (Reprodução/Internet)

Veja mais: Ações de companhias aéreas caem com novas restrições na UE

Índices europeus caem em conjunto

O Euro STOXX 600 (STOXX) caiu 0,7%, com os investidores digerindo as leituras de flash PMI mais fracas para janeiro. As restrições de bloqueio para conter a pandemia de coronavírus atingiram o setor de serviços dominante no bloco.

ANÚNCIO

O índice FTSE 100 (UKX) caiu 0,7%, uma vez que dados mostraram que os varejistas britânicos lutaram para se recuperar em dezembro de um bloqueio parcial devido ao coronavírus no mês anterior.

Os republicanos no Congresso dos EUA indicaram que estão dispostos a trabalhar com Biden na principal prioridade de seu governo, um plano de estímulo fiscal de US $1,9 trilhão, embora alguns se oponham ao preço.

“O fato de que haveria estímulo dos EUA era bem conhecido e o tamanho do pacote e os detalhes de alto nível do que eles pretendem com o pacote eram bem conhecidos há algum tempo”, disse James Athey, diretor de investimentos da Aberdeen Standard Investments.

ANÚNCIO

Índices dos EUA também apresentam queda

No pregão do meio-dia em Wall Street os índices se comportavam da seguinte forma: 

  • Dow Jones Industrial (DJI) caiu 117,4 pontos, ou 0,38%, para 31.058,61;
  • S&P 500 (SPX) perdeu 6,81 pontos, ou 0,18%, para 3.846,26;
  • ​​Nasdaq Composite (IXIC) caiu 14,89 pontos, ou 0,11%, para 13.516,03 .

O clima de perda de risco seguiu um período de alívio após a transição do poder nos Estados Unidos, culminando na posse de Biden na quarta-feira, e fortes expectativas de que o estímulo dos EUA fosse culminar em maior recuperação para as ações globais.

Nos mercados de câmbio, o Dólar americano ganhou após três dias consecutivos de perdas, embora ainda estivesse no caminho para sua maior perda semanal desde meados de dezembro. O índice do dólar subiu 0,048%, com o Euro subindo 0,14%, para US$ 1,2179.

A recente queda do Dólar foi liderada por investidores que investem dinheiro em moedas de maior rendimento com o otimismo sobre uma rápida recuperação econômica liderada pelo estímulo dos EUA.

Commodities sofrem com temores

Dados do Japão durante a noite mostraram que a atividade fabril caiu em contração em janeiro, e o setor de serviços estava mais pessimista quando as medidas de emergência para combater o ressurgimento da Covid-19 atingiram o sentimento geral.

Nas commodities, os preços do petróleo foram pressionados por temores de que novas restrições pandêmicas na China reduzirão a demanda de combustível no maior importador de petróleo do mundo.

O petróleo norte-americano caiu 1,36%, para US$ 52,41 por barril, enquanto o Brent estava em US$ 55,39, queda de 1,27% no dia. As notas de referência dos EUA de 10 anos subiram 6/32 no preço para render 1,0872%, de 1,107% na noite de quinta-feira.

Leia também: Analista do BofA (BAC) destaca importância do hidrogênio no futuro

Traduzido e adaptado por equipe Folha Capital.

Fonte: CNBC e Reuters.

ANÚNCIO