3 novos negócios que surgiram durante a pandemia

ANÚNCIO

A pandemia trouxe diversas mudanças sobre o que era considerado normal, fazendo com que os profissionais de diversas áreas saíssem da famosa zona de conforto. Afinal, novos momento requerem novas habilidades e estratégias.

O atual cenário também impulsionou o surgimento de novos negócios, que antes não eram possíveis ser pensados para o trabalho presencial. Por outro lado, é possível ver milhares de empresas e estabelecimentos sendo fechadas devido o coronavírus.

ANÚNCIO

Algumas funções que antes eram exercidas, agora perderam a utilidade. Existem relatos de pessoas que tiveram sua profissão afetada, e como consequência perderam toda sua renda. Nessa nova realidade, existiu quem enxergasse oportunidades em momentos de escassez.

3 novos negócios que surgiram durante a pandemia
Fonte: (Reprodução/Internet)

Veja os empreendimentos que ganharam vida em meio à crise, segundo a Forbes Brasil.

Negócios virtuais

As empresas online ganharam força no mundo pandêmico, e é neste ambiente que tem se concentrado os novos negócios ou aquele que já existiam e precisaram ser ressignificados, pois no universo digital a criatividade faz toda a diferença.

ANÚNCIO

Com a crescente utilização da internet como ferramenta de trabalho, os empreendedores precisaram mudar até mesmo a forma de abordar seus clientes e de se relacionar com eles. Isto se fez necessário pois o público tende a ser mais exigente quando o consumo é feito digitalmente.

Alguns profissionais têm muito a dizer sobre como criar oportunidades em meio aos problemas. Veja três negócios com conceitos inovadores que surgiram durante a pandemia e que são promissores para o mundo pós Covi-19.

FREELAS

Este empreendimento foi criado para vincular as mulheres ao mundo dos negócios. A FREELAS é uma ferramenta virtual que oferece espécie de coach e reflexões com o intuito de promover a igualdade de gênero no mercado de trabalho.

ANÚNCIO

A plataforma também tem o objetivo de abordar outras questões importantes como a violência contra a mulher, por exemplo. A marca surgiu em um cenário onde os casos deste crime aumentaram em muitas regiões do país.

Conforme dados do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro (TJRJ),  os casos no estado cresceram em 50% desde o início da quarentena, segundo publicação do site O GLOBO. Então, além da FREELAS ser um impulsionador profissional para o público feminino, também dá publicidade às discussões sociais.

Famiglia Mandotti

O setor de alimentos foi um dos nichos do e-commerce que viralizou no isolamento social. Desenvolver um negócios com culinária específica pode ser uma boa estratégia para obter lucros.

3 novos negócios que surgiram durante a pandemia
Fonte: (Reprodução/Internet)

Pensando nisso, Viviane Mandotti, inaugurou o seu bistrô de comida italiana. A empresária criou o seu negócio um pouco antes do novo vírus surgir. Ela foi motivada pela necessidade de ter uma fonte de renda adicional para suprir as despesas da escola da filha.

Viviane é de descendência italiana e sempre teve o interesse em utilizar a cultura europeia no âmbito gastronômico. O empreendimento é gerenciado por ela e sua mãe, que juntas montam o cardápio e preparam os alimentos, dentro eles estão: massas artesanais, pães, molhos e antepastos.

O pedido é feito pela página do próprio bistrô e por meio das redes sociais. Por enquanto, elas só trabalham com o serviço 100% virtual e delivery. Até o momento, região de atuação do empreendimento é apenas em São Paulo.

SCAL

Este negócio é voltado à assistência remota de hospitais e clínicas. A inovação foi criada pelo empreendedor Helder Montenegro, que aplicou na nova empresa o valor de 2,3 milhões de reais. A companhia está em atividade desde o começo da pandemia, em março.

Segundo a colunista Juliana Andrade da Forbes, mais de 88 mil brasileiros já foram atendimentos pela SCAL e hoje a marca conta com 230 mil estabelecimentos de fisioterapia vinculadas à plataforma.

O proprietário da empresa era dono de uma academia que fechou recentemente, após 20 anos de funcionamento. Com essa perda, Montegro investiu no empreendimento online sem sair da área da saúde, que é o setor que ele sempre atuou.

Pensando num cenário pós coronavírus, estes empreendimentos também encontrarão espaço no mercado, já que a internet não está dentro dos recursos que perdão utilidade nos próximos anos.

Por fim, a estimativa é que os negócios de sistema híbrido, isto é, empresas que fornecem serviços presenciais e virtuais serão a aposta para quando as atividades forem 100% retomadas, conforme os especialistas em carreiras da Forbes.

ANÚNCIO